sábado, 18 de dezembro de 2010

sAPOS SENTADOS

acredito em milagres! acredito em fantasmas !


Acredito em milagres

Na verdade eu creio em tudo.

Tudo é possível!

Existem algumas coisas extremante improváveis, más não impossíveis.

Assim se um rio corre em determinado sentido existe uma razão para isso, porém é possível mudar o curso do rio ou ate reverter sua direção, o problema é qual a razão de se fazer isso? Qual o custo beneficio de se fazer isso, que resultado se espera?
Creio que funciona desta forma.

Tudo pode acontecer desde que exista uma razão para isso.

Definindo ter fé, apenas crer não basta, a exemplo de uma petição os argumentos tem que ser bem alicerçados.

Quando temos pleno conhecimento de determinado assunto teremos mais condições de realizar mudanças.

Desta forma perde-se um debate por falta de conhecimento, falta de convicção, medo do desconhecido.

Então fé, se auto explica.

Os céticos são aqueles que querem acreditar (incoerente) em seus argumentos.

Quase sempre as pessoas derrubam fé, sonhos, crenças das outras em função de desconhecimento.

O medo do desconhecido distorce a realidade, seria muito bom se fosse possível eliminar o medo.

O medo é o grande problema!

Procuramos algum fato que podemos ou devemos temer em seguida ou evitamos o assunto ou eliminamos a idéia deixamos de fazer, desistimos.

Preconceito também é medo do desconhecido.

Somos especialistas em criar fantasmas e depois cuidar com muito carinho deles.

Como seria interessante a vida sem os medos!

 Aprendemos a criar fantasmas e não perdemos tempo em ensinar a forma de criá-los.

Sempre pedimos em orações para livrar-nos dos fantasmas, no entanto saímos por aí distribuindo fantasmas.

Pessoas gostam de fantasmas (preocupações) caso não encontrem nenhuma preocupação real se inventa alguma.

O segredo de se obter atenção das pessoas e demonstrar que você é um hábil criador de fantasmas e sabe como domar a todos.

Acredito em fantasmas....

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

sAPOS SENTADOS
Para quem mesmo eram os aplausos ???



Reflexão:

Nos últimos anos de trabalho profissional sentia necessidade de melhorar meu perfil, tentei aprimorar minhas palestras, fiz cursos rápidos, técnicas de oratória, falar em público, revi meus conhecimentos de inglês e espanhol, tinha ainda outros objetivos que precisavam ser colocados em pratica de imediato..

Nota: Vi também este entusiasmo nos últimos anos de vida de meu pai.

De alguma forma me sentia travado, sem tempo para interesses pessoais. Minhas metas não eram bem acolhidas pelos empregadores, assim com um mixto de decepção por ver esforços em vão.

Mesmo não querendo admitir havia um pensamento recorrente, existem tantas pessoas interessadas no meu trabalho, tanta gente aplaudindo e eu escravo do sistema.

Certamente a aposentadoria é a solução, liberdade em fim.

O que eu não contava é que os aplausos não eram para mim ou para o meu desempenho profissional. Assim bastou me aposentar para que as platéias se esvaziassem.

Onde estarão, meus alunos aqueles que me procuravam e até pagavam para me ouvir, saber minha opinião, que incentivo tenho agora sem platéia?

Aposentadoria caiu como doença contagiosa, exclusão, morte!

Agora chego a conclusão que nem tudo que pensamos esta absolutamente certo, verdades absolutas?

Olhando os fatos por outros ângulos vejo a inconsistência daqueles aplausos, quem se enganou? Quem foi enganado?

Acredito que muitos outros que viveram estas experiências antes que eu chegaram a mesma conclusão, se é que isso é uma conclusão, ou estaria eu pensando errado novamente ?

Se os aplausos não eram para mim, nem para os produtos que eu promovi, nem mesmo para os meus empregadores?

Para quem mesmo eram os aplausos ???


"Nunca desanime quando os seus
esforços forem em vão, pois até o sol, ao
nascer, dá um belo espetáculo mas,
quase sempre, encontra a platéia
☼☼=====Dormindo=====☼☼

sAPOS SENTADOS

Esta noite o meu pai “me matou”





Anúncio português, premiado internacionalmente, mas que não passou na nossa televisão.

http://www.ad-awards.com/commercials/selection/institute_for_support_of_abused_children/commercials-218.html

 
O meu nome é "Sara"
Tenho 3 anos
Os meus olhos estão inchados,
 
Não consigo ver.
Eu devo ser estúpida,
Eu devo ser má,
O que mais poderia pôr o meu pai em tal estado?
 
Eu gostaria de ser melhor,
Gostaria de ser menos feia.
Então, talvez a minha mãe me viesse sempre dar miminhos.
 
Eu não posso falar,
Eu não posso fazer asneiras,
Senão fico trancada todo o dia.
 
Quando eu acordo estou sozinha,
A casa está escura,
Os meus pais não estão em casa.
 
Quando
a minha mãe chega,
Eu tento ser amável,
Senão eu talvez levaria
Uma chicotada à noite.
 
Não faças barulho!
Acabo de ouvir um carro,
O meu pai chega do bar do Carlos.
 
Ouço-o dizer palavrões.
Ele me.chama
Eu me aperto contra o muro. 
Tento me esconder dos seus olhos demoníacos.
Tenho tanto medo agora,
Começo a chorar.
 
Ele me encontra a chorar, 
Ele me atira com palavras más,
Ele diz que a culpa é minha, que ele sofra no trabalho.
 
Ele me esbofeteia e me bate,
E berra comigo ainda mais,
Eu me liberto finalmente e corro até à porta.
 
Ele já a trancou.
Eu me enrolo toda em bola,
Ele agarra em mim e me lança contra o muro.
 
Eu caio no chão com os meus ossos quase partidos,
E o meu dia continua com horríveis
palavras...
 
"Eu lamento muito!", eu grito
Mas já é tarde de mais
O seu rosto tornou-se num ódio inimaginável.
 
O mal e as feridas mais e mais,
 “Meu Deus, por favor, tenha piedade!
Faz com que isto acabe, por favor!"
E finalmente ele pára, e vai para a porta,
 
Enquanto eu fico deitada,
Imóvel no chão.
 
O meu
nome é "Sara"
Tenho 3 anos,
esta noite o meu pai * me matou *.

sábado, 20 de novembro de 2010

sAPOS SENTADOS

Nunca deveria ter feito isso (1)


Inicialmente agradeço aos amigos que me enviam lições de vida e permitem que eu escreva com minhas palavras, o que a vida os ensinou.

(Relato de um amigo)

Muitos anos se passaram nem sei bem acredito que uns quatro ou cinco e finalmente decidi me casar.

Sim todos estes anos haviam passado em um instante, estávamos apaixonados e já nos conhecíamos o suficiente para não precisar exprimir com palavras nossos sentimentos.

Naquele tempo era costume casar no civil alguns dias antes e assim em um dia como hoje estava eu ao lado de minha namorada assinando aquele burocrático sim.

Tudo parecia perfeito a não ser por um pequenino fato que nem imaginava ter um efeito para o resto de nossas vidas. (Nunca deveria ter feito isso)

Eu disse que nos conhecíamos tão bem que não era necessário nenhum dialogo para nos entendermos, estava errado, agora vejo.

Quem diria que pequenos detalhes daquele dia pudessem estragar tão esperado acontecimento.

Acontece que tanto eu como ela sinalizamos coisas que desagradava o parceiro sem, contudo perceber que aquilo demonstrava que nossa segurança de conhecer perfeitamente um ao outro estava errado.

Bem ela estava acostumada com um noivo estilo conservador muito serio romântico esperava flores, quem sabe uma cesta de café da manhã ou pelo menos um cartão com frases românticas que o noivo sempre muito atencioso costumava mandar antecipadamente.

Do lado do noivo, ele nunca havia dito mais ele adorava o cabelo dela com uma franjinha sobre a testa que a deixava com um ar de menininha sapeca. Adorava levantar a franja para beijar sua testa.

Bem lá estavam os dois no cartório para a cerimônia.

Até o ultimo momento ela esperou a chegada das flores, cartão com frases românticas, nada veio, seus olhos chegaram marejar que decepção.

 Alem disso encontrou um noivo nervoso, irritado pelo atraso e o calor que estava forte. Seu traje um pouco mais esportivo.

Teria cometido um grande erro? Aquele que se apresentou para casar não correspondia desde o primeiro dia ao noivo sonhado.

Também ao noivo estava reservada uma decepção.

Orientada pelo seu cabeleleiro ela cortou sua franjinha e fez um penteado que estava na moda naquela época que imitava uma personagem da novela que era uma moça de cabaré de vida nada exemplar.

Primeiro dia do resto de nossas vidas lá estávamos nós um casal que se conhecia tanto causando um ao outro decepção e o preço daquele dia esta sendo cobrado a todo o momento.

Tantos anos se foram e carregamos como lembrança de nosso casamento civil. Quando vemos nossas fotos deste dia esta claro nosso ar de decepção, fiquem atentos, não deixem que isso aconteça.

(Nunca deveria ter feito isso)

terça-feira, 16 de novembro de 2010

sAPO SENTADO ...
também é cultura... significados de algumas expressões


Practical Joker's :
Pessoas que encaram a vida  como uma grande brincadeira.

Tendência a ver situações hilárias em todas as coisas. Exageram em piadas e trocadilhos, contam fatos ocorridos de forma entusiasmada sempre chamando a atenção  para situações ridículas ou com duplo sentido.

White Lie :
Mentira branca.

Trata-se de um tipo de mentira necessário para determinadas situações, por exemplo, você vai ver um paciente desenganado em péssimas condições físicas e psicológicas e faz o seguinte comentário:

“Sua aparência esta cada dia melhor, conheço algumas pessoas que estavam em piores condições e tiveram total recuperação”

Day Dream :
Sonhar acordado.

Frequentemente nos desligamos da realidade  e viajamos em sonhos acordados. É muito comum acontecer em consultórios médicos ou locais onde aguardamos atendimento.

Stand up comedy:
Tipo de comedia

O orador fica só no palco contando fatos de forma cômica encaixando humor no texto.

Take for granted:
Aceitar como verdade absoluta, indiscutível.

É comum ouvir relatos de pessoas contando fatos dos quais tem pouca informação, assim para sustentar seus argumentos se dizem testemunhas do fato relatado algumas vezes se põem até no lugar do interlocutor como se o caso tivesse com elas ocorrido.

Expressões do tipo “me lembro como se fosse hoje”, “Em seu lugar certamente eu reagiria”, “Aquela pessoa não presta , se soubesse o que me falaram dela ”.Isso induz a conclusões erradas que podem ser tomadas como verdade absoluta.

sábado, 13 de novembro de 2010

sAPOS SENTADOS... Encontro...Com Quem ?

Texto de Edmundo Teixeira



Todos os dias ele mandava cartas de amor à sua amada.

Um dia, finalmente, os dois se encontraram, mas, em vez de ele a contemplar de perto, tomar-lhe as mãos e sentir-lhe a presença, deixando que os dois corações dialogassem, na linguagem sublime que nem um intelecto pode conceber, desenrolou um papel e começou a declamar-lhe uma poesia, enaltecendo-lhes os encantos e virtudes, exprimindo-lhe em belas metáforas a opinião que ela lhe inspirava. Mas ela o interrompeu dizendo:

Agora que nos encontramos, por que usas ainda a linguagem da distância?Venho-te ao encontro para saciar-te o intimo, na vivência muda de meu amor, e te mantém separado, de olhos semi-cerrados, embriagado pela beleza das palavras e admirando os teus próprios êxtases poéticos!?Absorto na forma, como podes absorver-te em mim, que sou Essência tua?


Reflexão:

Todos os dias buscamos a Essência de nosso Ser em preces revestidas de louvor e de belas palavras, supondo que quanto mais belas, mais efeitos produzem . E mesmo que por amor, Ela nos venha ao encontro, encontra-nos identificados conosco mesmos – com o que dizemos com o que desejamos – alheios a Sua Presença e esquecidos de Sua sintonia, que é a razão mesma da prece, a causa de que tudo decorre. Isso não é amor a Ela, mas a nós mesmos. É narcisismo...

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

sAPOS SENTADOS... Oportunidades

Adaptação de um texto Oriental por Edmundo Teixeira

O Pastor adormecido

Um jovem pastor deixou seu rebanho aos cuidados do cão e adormeceu à sombra de uma árvore a beira da estrada

Passou um bandido com seus comparsas, parou e entre os dentes disse      “Jovem forte e tão moleirão,. Vou dar cabo dele”

Más o moço dormia tão placidamente que ele teve um relance de pena e se foi.

Passou depois uma linda princesa com suas criadas e, contemplando o moço disse: ”Jovem forte e bonito. Vou levá-lo comigo, transforma-lo em um nobre e casar-me com ele”.

Más o moço dormia tão placidamente que ela não quis desperta-lo. E se foi.

Passou em seguida um rico mercador. Observou atentamente o mancebo e refletiu: “Não tenho filhos. Parece bonito e inteligente. Posso transformá-lo em um próspero comerciante!”.

Más o moço dormia tão placidamente que ele desistiu e se foi.


Reflexão

Quem dorme desatento às oportunidades e perigos da vida, está sujeito a lei do acaso. Por ele pode passar a morte, o amor a fama e a fortuna, sem que tenha possibilidade de, conscientemente ,evitar ou desfrutar.

Tudo não passa de um sonho...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

sAPOS SENTADOS...  Reflexão sobre os que partem

Adaptação de um texto de Edmundo Teixeira


Um dia uniram-se duas borboletas. E do ovo nasceu uma lagarta.

A lagarta teceu um casulo chamado personalidade e nele permaneceu determinado tempo.

Um dia o deixou e saiu voando como borboleta, para o amplo espaço de Deus.

Então os outros casulos levaram flores ao casulo aberto e choraram sobre ele.


A peça terminou e o pano caiu.

Os artistas se retiraram para os bastidores, lavaram-se, trocaram-se e saíram de volta para casa, agora eles mesmos não os “papéis”.

Não eram mais parentes, inimigos, velhos ou moços.

Já pensaram se eles teimassem em permanecer no palco para continuarem a ser os personagens que representavam?

Não há mais sentido em continuar, é preciso sair para outros papéis.

Reflexão:

Não somos o corpo que parecemos, senão o Ser espiritual que nele vem habitar.

No entanto, nos identificamos tanto com o que vemos que esquecemos o que somos.

Um dia o Ser despe seu traje e torna a Ser.

Choramos sobre a veste vazia e tristemente nos despedimos dela.

Quem morreu ?

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

sAPOS SENTADOS na Política

Ainda sobre o tema anterior quando falei sobre preconceito com aposentados ou quando citei que aposentados pertencem a outro planeta.

Aqui gostaria lembrar um ex-presidente que chamou aposentados de “vagabundos” encostados no governo e que todos deveriam trabalhar até 65 anos ou mais.

Uma resposta ainda que tardia seria a seguinte:

Com pouco mais de 45 anos já sentia preconceito de idade no trabalho. É cultura do país. Assim uma piadinha aqui Uma brincadeirinha ali, tudo levado em uma boa.

Fazendo ou não conta das brincadeiras a verdade é que de pouco em pouco o rotulo inevitável de sucata é colocado. Isso no meu caso a partir de 45 anos, imagine a pressão que iria vir e veio depois dos 55 anos.

Aqui a resposta:

Se o governo garantisse nosso emprego estaria trabalhando até os 65 anos ou mais e não precisaríamos ser chamados de “vagabundos”

O governo faz exatamente o contrário, penaliza o empregador com altos impostos, não aprova nenhum incentivo que facilite o aproveitamento de mão de obra dos chamados idosos.

Escrevi tudo isso para dizer apenas que sAPO SENTADO na Política velhinhos estão apenas no inicio de carreira.

Aqui fora pessoas com mais de 60 anos são considerados inaptos. Quem é que quer escutar opiniões ou executar idéias de quem tem mais de 60 anos?

No entanto na política todos querem ouvir e executar idéias de quem tem mais de 60 anos o próprio presidente que nos chamou de vagabundos.

Vejam governadores, prefeitos, senadores, deputados, vereadores, até nossos últimos presidentes quase todos com mais de 60 anos.

Aqui fora quem seriam estes? Alguém iria querer saber a opinião deles?

Imagine aqui uma senhora com 62 anos querendo dar palpites no orçamento, organização modo de vida dos mais jovens da família.

Será que existe isso???

No entanto nossa presidente recém eleita tem 62 anos e esta começando no cargo agora.

Por melhor que seja o currículo de um simples mortal, imagine mandando currículo para qualquer cargo e colocando na primeira pagina (Idade 62 anos) Qual é a chance de conquistar o emprego???

Estes são sAPOS SENTADOS na Política

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Opinião de um sAPO SENTADO


Opinião de um sAPO SENTADO


Sempre temos muitas coisas a dizer, nem sempre existem pessoas dispostas a escutar.

Encontrei aqui na net uma forma de emitir minhas opiniões sobre o que eu penso, sem questionamentos, não estou procurando aprovação nem reprovação de ninguém  . Apenas jogo minhas idéias.

Muitas vezes me surpreendi ao ler os textos e descobrir que relatando idéias nos podemos ser bem melhor. Escrever sobre nossas idéias funcionam como terapia  de auto conhecimento.

Para aqueles que gostam de discordar analisar ir contra ou coisas do tipo acredito na frase que resume o que me fez decidir escrever aqui:


Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.


Opinião sobre ser um sAPO SENTADO

A vida consiste em etapas a serem cumpridas.

Passamos praticamente toda vida aprendendo que deveremos estudar, nos atualizar, adquirir sempre novos conhecimentos para conseguir sucesso pessoal e profissional.

Desta forma toda nossa energia fica direcionada para atingir estes objetivos.

Sucesso pessoal, profissional , casamento , formação de família, tudo isso constroem nosso modelo de vida.

Existe, porém na vida, uma realidade paralela, para a qual poucas vezes damos nossa atenção.

A aposentadoria, tema que evitamos ou negamos sua existência .

Estou aposentado e agora?

De repente somos jogados a uma nova realidade. Totalmente diferente daquela pela qual tanto lutamos.

A diferença fica por conta em quanto tempo aceitaremos esta nova condição de vida.

Seria mais ou menos como se caíssemos em um lugar  estranho aos nossos costumes. Onde tudo é diferente. Temos que rever nossos conceitos.

O aposentado, para aqueles que vivem no modelo social padrão. Não passa de um alienado, um encostado, um peso social.

Na realidade o que ocorre é apenas uma seleção natural, puro preconceito.

Àqueles que não pertencem aos nossos grupos, não compartilham de nossa forma de viver serão excluídos.

Temos que aceitar esta forma de pensar independente do sentimento de revanche, tipo um dia você estará aqui em meu lugar.

Aposentados pertencem a outro planeta, inútil perder tempo com comparações.

Quanto mais rápido aceitarmos nossa nova condição de vida, mais tempo teremos para aproveitar as vantagens desta nova etapa.

Para aqueles que pensarem “vantagens” pejorativamente, mostram preconceito ao contrario.

Se dizem que não existem vantagens é porque não aceitaram ser aposentados.

Aposentadoria não é uma escolha, ninguém pergunta se você quer ir para este lugar. Apenas você é jogado lá. Ser bom ou ruim só depende de você.

Se de repente Deus quiser jogar você no paraíso ou no inferno, você terá que se adaptar as condições de lá.

O sofrimento em ambos os casos dependem do quanto iremos resistir, não aceitar.

domingo, 31 de outubro de 2010

Projetos de gaveta


Nesta seção proponho descrever projetos nos quais trabalhei, alguns deles não passaram de:

  1. Simples idéias que nem mesmo saíram do papel
  2. Protótipos
  3. Pararam por falta de patrocínio
  4. Foram doados como colaboração científica
  5. Aproveitado parcialmente
  6. Foram lançados pelas empresas em que trabalhei
  7. Geraram patentes
  8. Outros

Mantendo um padrão de edição:

  • Título do projeto
  • Breve descrição
  • Classificação conforme números acima


Vitrificação de superfícies metálicas para eliminação de ferrugem.

Consiste em aproveitar a água percolada em superfície enferrujada como catalisador de cura de resina vítrea. Evitando desta forma que água disponível sobre a superfície permita que a ferrugem possa evoluir
Os testes foram feitos usando placas recém pintadas com corte em X com estilete submetidas a envelhecimento acelerado por salt- Sray, para leigos promovemos um enferrujamento forçado.
A resina vítrea foi aplicada sobre a superfície enferrujada e depois de vitrificada não houve mais evolução da ferrugem
As placas foram submetidas a testes em água do mar por mais de 3 anos sem qualquer alteração.Objetivo recomendar para revestimento de navios ou plataforma marítima.
Este mesmo projeto foi usado para cristalização de ferrugem dentro de canos em área portuária. A resina vítrea foi injetada dentro de canos enferrujados e tivemos como resultado diminuição do diâmetro interno dos canos porem a evolução da ferrugem foi interrompida definitivamente.
Classificação 3



Solução aglutinante e desaglutinante para barro
Este produto foi inicialmente desenvolvido para evitar desplacamento de barro na furação de poços. Assim quando se faz perfuração de poços se injeta o produto nas paredes a medida em que a broca perfura. Quando a broca é retirada ocorre desmoronamento . com o uso deste produto o desmoronamento não ocorre.
O produto depois de aprovado em poços de água passou ser usado em perfuração de petróleo poços mais profundos
Aproveitando as propriedades de aglutinação e desaglutinação de barro testamos o produto da seguinte forma: Bolinhas de barro com e sem produto simplesmente jogadas em recipiente com água e foi verificado que as bolinhas com o produto não dissolve enquanto a outra bolinha dissolve de imediato. Novos testes foram feitos usando água em fluxo corrente e as bolinhas igualmente resistiram
Próximo paço, usamos o produto na compactação de estradas rurais onde após a compactação do barro não houve mais formação de lama.
Outro uso testado foi a inversão da propriedade compactante para descompactante. Assim pode em condições seguras provocar desmoronamento. Qual a utilidade disso?

Em locais onde é necessário remoção de um barranco ou de uma pedra em encostas a injeção do produto desaglutinante permite desmoronamento controlado ou remoção de pedras.
Pensando de modo contrario, com o produto aglutinante pode se evitar desmoronamento de pedras ou de encostas.
Classificação 5



Os filhos nos ensinam ...

Nesta seção proponho apresentar temas com os quais pessoalmente me identifico e que de certa forma dizem respeito ao meu jeito de ser ou de pensar.


Meu ser evaporei na lida insana

Meu ser evaporei na lida insana
Do tropel de paixões, que me arrastava.
Ah! Cego eu cria, ah! mísero eu sonhava
Em mim quase imortal a essência humana.

De que inúmeros sóis a mente ufana
Existência falaz me não dourava!
Mas eis sucumbe Natureza escrava
Ao mal, que a vida em sua origem dana.

Prazeres, sócios meus e meus tiranos!
Esta alma, que sedenta em si não coube,
No abismo vos sumiu dos desenganos.

Deus, ó Deus!... Quando a morte à luz me roube
Ganhe um momento o que perderam anos,
Saiba morrer o que viver não soube.


Manuel Barboza du Bocage


Os filhos nos ensinam

De repente um chamado da natureza
Queremos um bebe
Chegou a hora estamos prontos para este desafio.
A partir de um sim recíproco  tudo começa.

A expectativa gera planos
Vamos preparar o manual
O casal começa assumir seus direitos e deveres
Por fim com o manual mais do que decorado
Chega o bebe.

Todos ansiosos para colocarem em pratica  suas teorias
Cada um dos participantes assume seu papel.
Mães, pais, avós, irmãos, babas, vizinhos, padrinhos, amigos.
E por aí vai.

Imaginem o que seria da criança se todas as teorias funcionassem
Conforme a cabeça de cada um.
Bem a verdade é que somos uma resultante desta aplicação.

Alem de tudo isso tem a figura central o bebê que vi começando a entender
As regras do jogo
E passa a jogar, vai testar seus limites com cada um dos personagens
Também precisa imediatamente elaborar seu manual

Testa os limites e intui os resultados
Quando todos os parâmetros estiverem verificados
O bebe passa a usar seu manual com maestria

Ensinando a cada um a cumprir seu respectivo papel
Assim quem ensina na casa são os filhos
Que nos permitem brincar de ser pais.

Desconheço o autor