sexta-feira, 26 de novembro de 2010

sAPOS SENTADOS
Para quem mesmo eram os aplausos ???



Reflexão:

Nos últimos anos de trabalho profissional sentia necessidade de melhorar meu perfil, tentei aprimorar minhas palestras, fiz cursos rápidos, técnicas de oratória, falar em público, revi meus conhecimentos de inglês e espanhol, tinha ainda outros objetivos que precisavam ser colocados em pratica de imediato..

Nota: Vi também este entusiasmo nos últimos anos de vida de meu pai.

De alguma forma me sentia travado, sem tempo para interesses pessoais. Minhas metas não eram bem acolhidas pelos empregadores, assim com um mixto de decepção por ver esforços em vão.

Mesmo não querendo admitir havia um pensamento recorrente, existem tantas pessoas interessadas no meu trabalho, tanta gente aplaudindo e eu escravo do sistema.

Certamente a aposentadoria é a solução, liberdade em fim.

O que eu não contava é que os aplausos não eram para mim ou para o meu desempenho profissional. Assim bastou me aposentar para que as platéias se esvaziassem.

Onde estarão, meus alunos aqueles que me procuravam e até pagavam para me ouvir, saber minha opinião, que incentivo tenho agora sem platéia?

Aposentadoria caiu como doença contagiosa, exclusão, morte!

Agora chego a conclusão que nem tudo que pensamos esta absolutamente certo, verdades absolutas?

Olhando os fatos por outros ângulos vejo a inconsistência daqueles aplausos, quem se enganou? Quem foi enganado?

Acredito que muitos outros que viveram estas experiências antes que eu chegaram a mesma conclusão, se é que isso é uma conclusão, ou estaria eu pensando errado novamente ?

Se os aplausos não eram para mim, nem para os produtos que eu promovi, nem mesmo para os meus empregadores?

Para quem mesmo eram os aplausos ???


"Nunca desanime quando os seus
esforços forem em vão, pois até o sol, ao
nascer, dá um belo espetáculo mas,
quase sempre, encontra a platéia
☼☼=====Dormindo=====☼☼

Um comentário:

  1. Ae Gude!
    Tem um espectador aqui na platéia!
    Parabéns pelo blog =)

    Abração,
    Rafa

    ResponderExcluir