sexta-feira, 25 de maio de 2012


sAPOS SENTADOS
ACERTANDO OS ERROS        Contos de Edmundo Teixeira


Havia um rei muito conservador, que via com maus olhos qualquer inovação e desestimulava toda iniciativa de aprimoramento.

Certo dia ele mandou chamar o mestre Sufi Hasan Wais Kashif e pediu a ele um ensino.

Depois de refletir um instante disse:

“Errar é dever, corrigir é obrigação”

No entanto o rei contestou:

“Concordo com a segunda sentença , mas discordo totalmente com a primeira, pois são antagônicas.É claro que seria tolice errar para ter o trabalho de corrigir depois!

“Falo em errar ,mesmo no sincero esforço de acertar” Respondeu Hasan.

“Todo o esforço de aprimoramento é bom, se bem que o tempo o tornará obsoleto, quando descobrir algo melhor ainda.Então o que parecia certo torna-se errado . Mas, foi necessário tentar para poder melhorar!”

"Nesse caso ““ não é erro”, disse o rei “ Pois enquanto era valido era verdade”

De um ponto de vista mais amplo, nunca se alcança a ultima verdade. Devemos estar sempre dispostos a melhorar ou seremos obsoletos.

“Queres dizer que meus decretos não são verdadeiros”, ameaçou o rei.

“Não me cabe julga-lo ó rei! Pergunte a posteridade. Desejo que seus atos atestem ao futuro o seu esforço de fazer o seu melhor”.

O ensinamento mostrou que a partir daquele dia o seu reinado foi dos mais promissores.

Comentário:

Lembre-se ninguém tem a verdade absoluta, você não pode presumir estar sempre certo e as demais pessoas erradas, aceite a opinião dos outros .

Você não precisa concordar apenas aceitar o tempo se encarrega de testar a validade das idéias.

sábado, 19 de maio de 2012


sAPOS SENTADOS
Exemplo do Paguru                  Contos de Edmundo Teixeira


Paguru é um crustáceo , semelhante a uma pequena lagosta, de tamanho variável, de abdômen nu e mole, que habita o litoral.

O primeiro par de patas termina por grandes tenazes, uma das quais muito maior que a outra , que serve para carregar uma concha de molusco , onde ele se aloja para proteção.

A medida que vai crescendo escolhe conchas maiores para usar em sua defesa.
Alguém poderia comparar o Paguru a um escoteiro marítimo, que leva sempre consigo uma barraca. Podemos porém tirar um sentido mais profundo:

Na antiga escola de sabedoria de Hermes Trimegísto  do antigo Egito, os alunos eram ensinados a blindar os seus corpos , mental, emocional e físico, para não serem feridos na vida.

Hoje também a psicologia cristã nos lembra à vigilância a prudência, no trato diário, com prece e meditação que constituem o nosso escudo .

Lembrem-se “Os inimigos dos homens são de sua própria casa” (Mt.10:36) , isto é , os traços irregenerados de nosso próprio intimo, contra os quais no devemos acautelar , para não sermos levados a reações negativas e descontroladas ante as provocações de fora .

Os eventos e as pessoas não vão mudar, mas as nossas reações, sim!

segunda-feira, 14 de maio de 2012


sAPOS SENTADOS
Quem decide por mim?                  Contos para reflexão


Um colunista conta uma estoria em que acompanhava um amigo em uma banca de jornais.

O amigo cumprimentou o jornaleiro amavelmente, mas como retorno recebeu um tratamento rude e grosseiro.

Pegando o jornal que foi atirado em sua direção, o amigo do colunista sorriu polidamente e desejou um bom fim de semana ao jornaleiro.

Quando os dois amigos desciam pela rua, o colunista perguntou:

- Ele sempre te trata com tanta grosseria?

- Sim, infelizmente foi sempre assim…

- E você é sempre tão polido e amigável com ele?

- Sim, procuro ser.

- Por que você é tão educado, já que ele é tão inamistoso com você?

- Por que não quero que ele decida como eu devo agir.