segunda-feira, 26 de março de 2012

sAPOS SENTADOS
Envelhecer é uma escolha?
Adaptação de texto de Edmundo Teixeira

Juventude não é um período da vida – é um estado mental.

Não é uma questão de faces róseas, lábios rubros ou joelhos flexíveis é ansiedade de viver o presente com toda intensidade.

É enfrentar desafios, vitória da coragem contra a timidez, do gosto pela aventura, aversão total a comodidade.

Ninguém envelhece apenas por ter vivido certo numero de anos; as pessoas envelhecem pela deserção aos ideais.

Os anos enrugam a pele, mas a renuncia ao entusiasmo é que enrugam a alma. Preocupações, aborrecimentos, desconfiança de suas próprias habilidades, medo e desespero - com o passar do tempo estes fatores nos vencem , dobrando o corpo e o espírito sem piedade.

Seja aos 70 anos ou 16 anos, existe no coração do homem a necessidade de fascínio, é preciso acreditar que sempre existirá uma razão um porque uma nova resposta. E é preciso viver intensamente para procurar por ela.

Somos tão jovens quanto a medida de nossa fé e tão velhos quanto a extensão de nossas dúvidas; tão jovens quanto a confiança em nós mesmos e tão velhos quanto o nosso temor;tão jovens quanto a esperança e tão velhos quanto o desespero.

No intimo de nossos corações existe uma estação telegráfica sem fios, enquanto ela receber mensagens de autoconfiança, alegria, coragem arrojo e poder, seremos jovens.

Quando cessar a motivação, e recebermos mensagens frias de desanimo, pessimismo, descrédito abandono, seremos velhos...

Envelhecer é uma escolha?



segunda-feira, 19 de março de 2012

sAPOS SENTADOS

OS SETE POTES                         Luiz Gonzaga Alca de Sant’Ana

Um grupo de filósofos discípulos de Faucault,recentemente deu uma palestra no “Collège de France” , em forma de sócio dramatização.

Um grupo discutia. De repente ao lado deles abriu-se uma cortina e vê-se uma mulher ante a penteadeira, vestida de branco, tendo a frente sete potes de maquiagem.

Ela tomou o primeiro deles, maquiou-se e entrando no grupo passou a participar ativamente dos debates.

Parou de repente, voltou a penteadeira mudou os potes de lugar, desfez a primeira maquiagem e fez outra. 

Voltou totalmente diferente e participou de outro modo dos debates. E assim aconteceu por varias vezes, sempre mudando a ordem dos potes, a forma de maquiar-se e agir.

A cena mexeu comigo. Vi na mulher de branco, antes de maquiar-se, o ser sem máscara e sem cores.

Na ordem dos potes, na escolha de cada um deles e na forma de agir vi as personalidades que tomamos, no palco da vida.

Quando eu era jovem, tinha minhas metas e as punha em certa ordem de preferência: carro, sexo, viagens,trabalho, saúde,amizades etc...Agora vejo a necessidade de mudanças a medida que entramos em outras fases da vida.

Comentário:

Faz-nos refletir na avaliação e escolha de nossos atuais propósitos. Feliz daqueles que reconhece as necessidades de mudança até que correspondam aos seus reais objetivos.

Sugestão:

Observe uma foto antiga sua. Aquele que se vê na foto não mais existe, você nem reconhece sua própria imagem, mudou a maquiagem???

sábado, 10 de março de 2012

sAPOS SENTADOS
Reverenciando às mulheres     Adaptação de texto de Edmundo Teixeira


Era uma vez uma mulher perseverante de nome Reagetsu. Ela estava em peregrinação, e um dia ao por do sol, chegou a uma vila . Cansada e com fome, pediu hospedagem em uma casa.

Foi-lhe negado o pedido. Bateu em uma segunda casa, em uma terceira e quarta.

Todos os moradores fechavam-lhe suas portas. Ela, mesmo sendo perseverante desistiu de insistir.

E como sabemos para uma mulher determinada não é simples desistir.Foi quando olhou em volta e encontrou uma cerejeira dos campos e decidiu fazer dela seu abrigo.

Era primavera, fazia muito frio e havia riscos de aparecerem animais selvagens. Mas, ela adormeceu ali sobre suas raízes.

No meio da noite acordou e viu o céu noturno de primavera, iluminado pelo prateado da lua projetando uma paisagem incrível como jamais havia visto, havia também um doce aroma exalado pelas flores noturnas.

Tomada por tamanha beleza , levantou-se e olhando para a vila que via no horizonte, fez uma reverencia em agradecimento aos moradores que haviam lhe negado hospedagem.

Refletiu que portas aparentemente fechadas podem esconder aberturas para outras oportunidades. Basta para isso mudar seu ponto de vista!.

É sempre bom refletir e ver as coisas por ângulos ainda não contemplados .

Aprendeu mais uma vez que uma dor nova, diferentes das já vividas no passado, mostra que o aprendizado é infinito.

Singela homenagem ao dia internacional da mulher.
Creia sempre existem novas possibilidades...