sábado, 13 de novembro de 2010

sAPOS SENTADOS... Encontro...Com Quem ?

Texto de Edmundo Teixeira



Todos os dias ele mandava cartas de amor à sua amada.

Um dia, finalmente, os dois se encontraram, mas, em vez de ele a contemplar de perto, tomar-lhe as mãos e sentir-lhe a presença, deixando que os dois corações dialogassem, na linguagem sublime que nem um intelecto pode conceber, desenrolou um papel e começou a declamar-lhe uma poesia, enaltecendo-lhes os encantos e virtudes, exprimindo-lhe em belas metáforas a opinião que ela lhe inspirava. Mas ela o interrompeu dizendo:

Agora que nos encontramos, por que usas ainda a linguagem da distância?Venho-te ao encontro para saciar-te o intimo, na vivência muda de meu amor, e te mantém separado, de olhos semi-cerrados, embriagado pela beleza das palavras e admirando os teus próprios êxtases poéticos!?Absorto na forma, como podes absorver-te em mim, que sou Essência tua?


Reflexão:

Todos os dias buscamos a Essência de nosso Ser em preces revestidas de louvor e de belas palavras, supondo que quanto mais belas, mais efeitos produzem . E mesmo que por amor, Ela nos venha ao encontro, encontra-nos identificados conosco mesmos – com o que dizemos com o que desejamos – alheios a Sua Presença e esquecidos de Sua sintonia, que é a razão mesma da prece, a causa de que tudo decorre. Isso não é amor a Ela, mas a nós mesmos. É narcisismo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário