sábado, 5 de novembro de 2011

sAPOS SENTADOS

O dia em que tudo termina                        Alex Marq

  
Chega um dia em que tudo termina...

Chega um dia em que tudo acaba...

Não termina, mas substituem-se sentimentos...

O carinho é trocado pelo silêncio , a atenção trocada por cobranças, o respeito trocado por críticas incisivas, a admiração trocada pela indiferença, o entendimento trocado pelo incômodo, o amor trocado pela exigência, o desejo trocado pela formalidade...

Um dia aquela coisa que já foi bela se acaba, tornando-se um imenso vazio que aplaca nossos corações... Momentos em que as longas e divertidas conversas dão lugar às nervosas discussões sem propósito e nem solução...

Acabamos por consumir mais tempo nos explicando de nossos atos do que agindo devidamente... O que era feito com gosto e carinho torna-se uma tórrida e infeliz obrigação que nos prende e nos sufoca... Tolhendo nossos sentimentos e destruindo nossos desejos mais íntimos...

Deixamos de olhar quem está conosco e, descaradamente fechamos nossos olhos e entrega-mo-nos em sonhos e devaneios, imaginando estar com quem nos deseje na medida de nossa capacidade em desejar e nos entregar a quem sentimos que mereça nossos mais sinceros sentimentos...

Nos acomodamos em muitas vezes no que está mais fácil e mais simples. Muitos de nós deixamos as coisas como estão, em muitas vezes entregando-nos à decepção e à depressão...

Deixamos de viver, embriagados nesse sentimento que temos de estar tolhido de esperanças...como se o fim do sonho fosse um eterno vazio...

Nem sempre temos energia ou coragem suficiente para dar um basta no que nos incomoda e perturba, nem sempre temos energia suficiente para ir em busca do que nos agrada...

Quase sempre adiamos uma coisa certa, e na maioria das vezes não conseguimos aceitar o que já passou...

À medida dessas dores será sempre indiretamente proporcional à nossa capacidade de superação...

Nunca conseguimos saber reconhecer o momento certo de dizer: - Basta !! Adeus... não dá mais... Nem sempre essa opção está entre nossas alternativas...

Sofremos em inúmeras e sucessivas tentativas de recomeçar do zero, na ilusão de que será tudo diferente, nos enganamos comodamente pela opção do mais simples e acessível porque nem sempre nos sentimos capazes e felizes o suficiente para ter segurança de encarar a própria solidão inexorável que nos espera adiante.

Preferimos estar garantidos a qualquer custo, do que a solidão de encarar os próprios sentimentos e buscar sermos nós mesmos.

São coisas tão simples que deixamos perdidas, o início da relação onde ambos poucos se conheciam e procuravam mostrar sempre o melhor de si, mas o "amor" e a convivência serviram para provar o grande engodo em que se envolveram...

Nem sempre a percepção de ambos é suficiente para avaliar o nível de insanidade em que se tornou o ambiente íntimo, e partem dum nível de discussão e divergências para o âmbito da batalha física , agredindo e ferindo fisicamente , e até tirando a vida em casos mais extremos...

Nunca sabemos o momento certo de declarar um basta mas depois de conseguirmos essa vitória, sempre temos o sentimento de que demorou demais.

Buscamos alguém que nos faça sorrir e não mais um que nos obrigue a chorar... A solidão ainda é melhor do que estar mal acompanhado... Mas nem sempre entendemos essas coisas.

Só há dois modos de aprendermos nessa vida: pela dor ou pela conscientização.

Que o verdadeiro amor esteja sempre em nossos corações ! ! !

Um comentário:

  1. É verdade, chega um dia que tudo termina...o ser humano, além de colocar suas expectativas em outra pessoa para respirar e subsistir emocionalmente, ainda não aprendeu a contornar e respeitar as diferenças entre eles...você só tem amor se continua sendo um alguém em separado...
    Beijos da Rô

    ResponderExcluir