sábado, 19 de maio de 2012


sAPOS SENTADOS
Exemplo do Paguru                  Contos de Edmundo Teixeira


Paguru é um crustáceo , semelhante a uma pequena lagosta, de tamanho variável, de abdômen nu e mole, que habita o litoral.

O primeiro par de patas termina por grandes tenazes, uma das quais muito maior que a outra , que serve para carregar uma concha de molusco , onde ele se aloja para proteção.

A medida que vai crescendo escolhe conchas maiores para usar em sua defesa.
Alguém poderia comparar o Paguru a um escoteiro marítimo, que leva sempre consigo uma barraca. Podemos porém tirar um sentido mais profundo:

Na antiga escola de sabedoria de Hermes Trimegísto  do antigo Egito, os alunos eram ensinados a blindar os seus corpos , mental, emocional e físico, para não serem feridos na vida.

Hoje também a psicologia cristã nos lembra à vigilância a prudência, no trato diário, com prece e meditação que constituem o nosso escudo .

Lembrem-se “Os inimigos dos homens são de sua própria casa” (Mt.10:36) , isto é , os traços irregenerados de nosso próprio intimo, contra os quais no devemos acautelar , para não sermos levados a reações negativas e descontroladas ante as provocações de fora .

Os eventos e as pessoas não vão mudar, mas as nossas reações, sim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário