quarta-feira, 16 de março de 2011

sAPOS SENTADOS

A VERDADE ACEITÁVEL                                    Texto Edmundo Teixeira


A Verdade desejou visitar o palácio do homem e um dia se anunciou tal como ela é:  nua jovem e bela.  O porteiro embora escandalizado foi consultar o ministro, mas este, quase sem fôlego, explodiu:
-  Estás louco?  Que seria de nós se a Verdade aqui entrasse?
 Enxota esta despudorada!
Embora expulsa, a Verdade continuou desejosa de visitar o palácio do homem e reapresentou-se, com o nome de “acusação”, desta vez trajada de amazona e brandindo o chicote.  Novo choque do porteiro e novo pasmo do ministro:
Estás doido, porteiro? 
Já pensaste o que seria de nós se a acusação aqui entrasse? 
 Dize-lhe que está indevidamente vestida!
A Verdade se foi, mas como estava firmemente decidida a visitar o palácio do homem, voltou terceira vez, lindamente trajada. 
O porteiro se maravilhou ante seu aspecto e formosura:
-  Quem és, gentil criatura?
-  Sou a Fábula e desejo visitar o palácio.
-  A Fábula!?  Já vou anunciá-la ao Sr. Ministro.
O ministro veio logo recebê-la, solícito e sorridente e começou a distribuir ordens:
-  Iluminem e adornem o salão!  Chamem os músicos!  A Fábula nos está visitando!
 
  ***
Rejeitada como Verdade mesma ou como desmascaramento do falso;  a Verdade só é admitida pelo homem comum sob os agradáveis disfarces da fábula, da parábola e das alegorias....
 

Um comentário:

  1. A verdade é uma coisa tão rara que há deleite em dizê-la, ela alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de qualquer falsidade como o óleo sobre a água...

    ResponderExcluir