segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

sAPOS SENTADOS

jogos da vida : Cenas do cotidiano


Jogos da vida,

De volta aos fantasmas

Como citei em comentário anterior “Eu acredito em fantasmas”, necessitamos criar preocupações para dar sentido a vida.

Caminhando na cidade, na feira, nos shoppings, supermercado, igreja.

Comecei a refletir sobre invisibilidade, assim, deixei meu carro e comecei andar por entre as pessoas.

Quantos daqueles ali realmente me viam?

Alem daqueles que desviavam para não esbarrar em obstáculo.

Assim ou eu não era visto ou era um obstáculo.

Nem mesmo sei se ser visível em determinadas situações é realmente importante.

Ser invisível tem suas vantagens, nos permite observar outras pessoas e tentar adivinhar o que passa pela cabeça de cada um.

Tente este jogo! Pareceu-me um passatempo divertido.

Para que a minha pesquisa proposta tivesse alguma validade tive que começar por comparar a minha posição naquele momento andando só no meio da multidão.

O que foi que eu vi? Quais foram minhas conclusões?

Seria melhor estar só?

Vi pessoas andando sozinhas apressadas em urgência por quê?

Passavam rápido umas pelas outras igualmente invisíveis.

Quase todos tinham um semblante serio preocupado, fechado.

Em que estariam pensando?

Poucos estavam conversando com outras pessoas, mais frequente em grupos de mulheres ou de mulheres com crianças.

Estive por um tempo maior observando casais.

Quase sem exceções pude constatar conflito de interesses assim um dos dois chamava para si o comando, tipo aqui mando eu!

Restando ao parceiro submissão.

Os casais sempre pareciam presidiários carregando aquelas bolas de ferro atadas aos pés.

Estavam aclamando ao céu por socorro.

Muitos fantasmas solitários como eu a procura de alguém que pudesse ajudar encontrar um novo sentido para suas vidas.

Outros que amarrados as suas bolas de ferro que em um tempo passado apostaram no parceiro para encontrar rumos novos para suas vidas.

Quem destes poderia dizer acertei plenamente em minha escolha?

Seria melhor ficar só?

Qual a forma manter as promessas de casamento?

Alguém tem resposta para estas perguntas?

Cenas do cotidiano

Um comentário:

  1. Todas as pessoas deveriam ficar sozinhas de vez em quando, para estabelecer um diálogo interno e descobrir sua força pessoal. Na solidão, o indivíduo entende que a harmonia e a paz de espírito só podem ser encontradas dentro dele mesmo, e não a partir do outro. Ao perceber isso, ele se torna menos crítico e mais compreensivo quanto às diferenças, respeitando a maneira de ser de cada um. O amor de duas pessoas inteiras é bem mais saudável. Nesse tipo de ligação, há o aconchego, o prazer da companhia e o respeito pelo ser amado...Beijos da Rô

    ResponderExcluir